Siga o Jornal de Brasília

Sem Firula

Exagero, convenhamos

Avatar

Publicado

em

PUBLICIDADE

Fim de jogo no Mineirão.

O Flamengo acabara de derrotar o Cruzeiro, por 1 a 0, mas, mesmo assim, estava fora da Libertadores.
Nas arquibancadas, a torcida da Raposa aplaude.

Num pequeno pedaço do estádio, os rubro-negros fazem o mesmo.

Deu para entender?

Bem, os cruzeirenses festejavam a passagem para as quartas-de-final. Ok.

Os flamenguistas… Bem, digamos que estavam felizes pelo que seu time apresentou. Ok.

Ok? Para as duas torcidas?

Nada disso. Exagero. E dos grandes.

A torcida do Cruzeiro deve, isso sim, ficar preocupada.

Seu time, apesar de toda a ótima vantagem alcançada no jogo de ida, no Rio de Janeiro (venceu por 2 a 0), viu sua equipe nervosa, sem conseguir controlar o jogo.

Nervosismo que só fez aumentar quando o Flamengo marcou um gol e ficou a apenas mais um para levar a decisão da vaga para os pênaltis.

E se acham que há exagero do colunista na afirmação do nervosismo cruzeirense, vejam as imagens do fim do jogo.

Se não quiserem perder tempo, vejam apenas a reação de Dedé, um gigante na defesa da Raposa.

Pareciam que tinham tirado um Mineirão de suas costas.

O Cruzeiro, pelo visto, não soube administrar a vantagem.

E o Flamengo?

Chegou a ter 70% da posse de bola, mas não concluía.

Fez um gol quase que num lance de sorte.

Poderia ter feito os dois gols necessários para levar a disputa pela vaga para os pênaltis? Sim, poderia, mas apesar de todos os problemas já apontados no Cruzeiro, não seria justo.

Se os torcedores aplaudiram o empenho dos jogadores até se entende – apesar de o colunista ser dos tempos em que dedicação (como honestidade) não era virtude, mas sim obrigação.

Agora, o Cruzeiro segue; o Flamengo está eliminado.

O time mineiro deixará o Brasileiro de vez; o Flamengo deverá dedicar-se cada vez mais.

E os dois ainda podem se enfrentar, de novo, numa possível final da Copa do Brasil – o Cruzeiro enfrenta o Palmeiras nas semifinais; o Flamengo tem pela frente o Corinthians.

Ano passado já foi assim.
Será que, numa eventual disputa de título, as duas galeras aplaudirão?

Mais problemas

O Santos vai verificar, agora, se a escalação de Sanchéz, que acabou motivando a eliminação de seu time na Libertadores, não foi algo armado e consumado dentro de casa.

Isso mesmo.

Em intensa luta política (há um pedido de impeachment contra o presidente na pauta), os cartolas da Vila Belmiro estão procurando dentro de casa um culpado para a incorreta escalação do jogador.

Embora não fale abertamente, o atual presidente, José Carlos Perez, vê no caso indícios de atuação da oposição para prejudicar ainda mais sua administração.

Apesar deste pensamento, o Santos continuará lutando na Fifa para mudar o resultado do primeiro jogo, que foi alterado (de 0 a 0 para 3 a 0 para o Independiente) devido à escalação proibida de Sanchéz.

Gigantes

Flamengo e Corinthians foram eliminados da Libertadores na mesma noite.

Ambos se enfrentarão, agora, pelas semifinais da Copa do Brasil.

O Timão já faturou o Paulista deste ano – apesar de o Palmeiras ainda contestar.

O Flamengo, até agora, nada.

No Brasileiro o Corinthians não alimenta esperanças.

O Flamengo ainda luta.

Como já se disse, não há estádio no mundo capaz de abrigar as duas maiores torcidas do país.

E só uma ficará feliz quando os jogos terminarem.


Leia também
Publicidade
Publicidade
Publicidade