Siga o Jornal de Brasília

Sem Firula

Desgaste

Avatar

Publicado

em

PUBLICIDADE

O que provoca mais desgaste num jogador de futebol?

Uma partida decisiva ou problemas no clube?

Bem… Uma parte da resposta talvez tenhamos após a partida entre Vasco x Flamengo, neste sábado, no Mané Garrincha, em Brasília (não estranhem).

Durante a semana que se encerra, o rubro-negro enfrentou, na quarta-feira, o Corinthians no jogo de ida das semifinais da Copa do Brasil.

Jogo tenso, é claro.

Presença de 50 mil torcedores (até sexta-feira já se anunciava a venda de mais de 45 mil ingressos para o clássico na capital federal), expectativa e… Bem, o empate de 0 a 0 não aliviou em nada a tensão na Gávea.
E o Vasco?

Sem jogar por qualquer outra competição, o time de São Januário viveu uma semana repleta de problemas fora de campo.
Wagner pediu rescisão de contrato alegando não pagamento de FGTS, o famoso Fundo de Garantia pelo Tempo de Serviço. Conseguiu. Agora luta para receber uns R$ 8 milhões de atrasados – e já está indo embora, para o Qatar.

Tensão e desgaste.

Torcedores, insatisfeitos, se reuniram com jogadores.

Mais tensão, mais desgaste.

Para completar, na noite de quinta-feira a Chapecoense virou o jogo para cima do Atlético Paranaense e… O Vasco entrou no Z-4.

Tudo bem que “deve” um jogo, mas até o fim do clássico contra o Flamengo, e se não conseguir os três pontos, o time vascaíno estará na zona de rebaixamento.

Então…

Que jogadores entrarão em campo mais desgastados?

Os vascaínos, que enfrentaram diversos problemas extra-campo ou os flamenguistas, que correram noventa e poucos minutos contra o Timão?

Em alta

Não se pense, porém, que é apenas o Vasco que vive momentos de tensão.

Neste sábado teremos outros dois jogos – e ambos valem muito na luta contra o rebaixamento.

O Ceará, que tem o mesmo número de pontos da equipe carioca, mas está atrás por causa do número de vitórias, está em alta.
Vem conseguindo bons resultados e pode, nesta rodada, deixar o Z-4.

Se derrotar o Vitória terá grandes chances de sair da zona da confusão.

O mesmo não se pode dizer do Paraná – que, para piorar, irá enfrentar o Grêmio, no Olímpico.

Para o colunista, inclusive, o tricolor da terra dos Pinhais é o único clube que já inscreveu seu nome, com certeza, no Z-4.
E de lá não sairá.

Às contas

Estamos chegando ao terço final do Brasileiro de 2018.

Um Brasileiro equilibrado como há tempos não se vê.

Vários times com esperanças de chegar ao título e, claro, começam as especulações.

Na base da matemática, ignorando que o futebol não obedece a padrões ou regras, começam a surgir as probabilidades de triunfo.

O Internacional teria quase 54% de chances de ser o campeão.

Curiosamente, não é o São Paulo, atual vice-líder (perde no saldo de gols para os gaúchos), que ocupa a segunda posição na matemática do primeiro lugar.

O Palmeiras, com quase 24%, corre por fora. Ao tricolor paulista, cerca de 18%.

Flamengo, Atlético Mineiro e Grêmio, que fecham o G-6, não alcançam, juntos, 10%.


Leia também
Publicidade
Publicidade
Publicidade