fbpx
Siga o Jornal de Brasília

Sem Firula

A receita

Avatar

Publicado

em

PUBLICIDADE

Há alguns dias, após o jogo do seu time (o Fluminense), contra o Corinthians, o treinador tricolor Abel Braga ressaltou a importância da segurança que a equipe corintiana exibia.
Na avaliação de Abel, o Corinthians atingiu um ponto tal de força que, mesmo pressionado, não se abalava, “confiando em seu taco”. Poderio psicológico quase tão grande quanto o bom futebol apresentado em campo.
Pois ontem, no jogo que mobilizou a rodada do Brasileiro, no Itaquerão, o Flamengo mostrou como se pode, quem sabe, conseguir derrubar este time que lidera o Brasileiro com boa vantagem, mantendo uma invencibilidade que já ultrapassa as 30 partidas (32, para ser preciso): jogar para cima, em cima, como se não houvesse um rival.
Isso mesmo: quando decidiu partir para cima do Corinthians, o Flamengo mostrou que o Timão pode, sim, ser derrotado.
E essa “transformação” aconteceu depois de um golaço marcado por um zagueiro – isso mesmo: o Flamengo empatou num belo lance de Rever e, a partir daí, passou a ignorar qualquer tipo de respeito pelo adversário e foi para cima.
Poderia, sem qualquer favor, ter alcançado a vitória, mexendo com os mais de 45 mil presentes ao Itaquerão.
Como aconteceu na bola da trave “contra” lá pelas 42 do segundo tempo…
Já imaginaram perder a invencibilidade num gol contra?
Uma vez que a coluna foi escrita antes da partida entre Grêmio e Santos, não dá para dizer se a distância entre o Timão e o tricolor caiu dois pontos.
Aliás, não dá para dizer sequer se a diferença permaneceu em oito pontos ou se o Peixe assumiu a vice-liderança.
O que não se pode negar é a qualidade e a emoção da partida entre os times de maior torcida no Brasil.
E a receita que o Flamengo mostrou a todos: não precisa ter medo do Corinthians. Vale partir para cima e, quem sabe…
Professor
O Sport, com Vanderlei Luxemburgo, cresceu no Brasileiro.
Se é verdade que o início da trajetória do professor no rubro-negro pernambucano foi com um revés na Copa do Brasil, diante do Botafogo (que está na semifinal da competição), não há como negar que o Leão encontrou o rumo e dá fundadas esperanças à galera de poder chegar bem no Brasileiro.
A vitória de ontem sobre o Bahia, em Salvador, manteve o Sport no G-6, a dois pontos do Palmeiras, que agora é o quarto colocado – supera o Flamengo nos critérios de desempate.
E brilhando na Copa Sul-Americana, onde já está nas oitavas-de-final.
Já que na parte de cima da coluna o autor falou de uma possível receita para bater o líder, o professor Luxemburgo parece ter encontrado a receita para fazer do Sport uma das atrações do Brasileiro.
Queda livre
Nova derrota, em casa.
Desta vez para o Atlético Mineiro.
O Coritiba mudou de técnico, mas não mudou seu mau momento.
O Coxa, que já andou pela liderança, pode entrar esta noite no Z-4.
E com requintes de crueldade: sendo ultrapassado por maior rival, se o Atlético Paranaense derrotar o Vasco, em Volta Redonda.
Já imaginaram?


Leia também
Publicidade
Publicidade
Publicidade