Siga o Jornal de Brasília

Mandando a Letra

“Será se eu escrevi certo?”

Publicado

em

Publicidade

Alguns regionalismos são percebidos principalmente pelas pronúncias diferentes, mas os significados diversos dos termos também são marcantes. O que não se percebe muito são construções sintáticas diferenciadas. Essa no título é uma delas.

Um fato que não é muito comum

A primeira vez em que me deparei com a forma que apresento nesse título: “será se…”, estranhei muito porque, realmente, nunca a tinha visto. Fora desta região do país (aqui em Brasília), andando pelo Sudeste, Sul e até Nordeste, não encontrei tal ocorrência.

Apesar de ser realmente em muito poucas situações, depois percebi que outras pessoas também já tinham ouvido essa forma de se expressar, com o “se” em lugar do mais comum (e correto): o “que”.

Qual é a situação sintática aqui?

Na oração em lide, temos o verbo “será”, que mostra uma dúvida e tem uma expressão que fica oculta, mas deve ser subentendida. Trata-se de algo como “verdade” ou “possível”. Senão, vejamos: “Será (possível) se/que eu escrevi certo?”.

Logo depois desse conjunto (será que), vem uma frase que deverá ser analisada segundo essa dúvida. Nesse caso, “eu escrevi certo?”. Portanto, são duas orações conjugadas, em que a primeira mostra que há uma necessidade de confirmação, o que gera uma condição para muita gente.

Onde pode surgir a confusão

Quando falamos de condição, podemos lembrar das conjunções ou locuções condicionais. Na lista delas, encontramos “contanto que”, “salvo se”, “senão”, “caso”, “uma vez que”, entre outras, mas, destacando o “se”.

É importante verificar em casos como esse, antes de somente apontar o fenômeno como erro e pronto, o que levou o falante a produzir essa frase, tão diferente do que mais ocorre. Em primeira análise, sem aprofundamento, enfatizo, parece ser mais comum aqui pelo Centro-Oeste. Precisaria de uma pesquisa mais acurada por parte dos sociolinguistas.

Parece que há subentendida uma condição quando se lança mão do “se” para construir a oração. Se escrevi certo ou errado, preciso saber. Tenho essa dúvida. O “se” acaba aparecendo e se conjuga com o termo “será que” (corretamente aplicado de acordo com a norma padronizada).

É importante perceber que há essa ligação entre duas orações, e que é feita pelo pronome relativo “que”. Não há como essa condicional subjetiva aparecer na frase. O sentido é somente “será mesmo que eu escrevi certo?”. Sem condição, é só querer saber se se escreveu corretamente. Portanto, troque o título lá em cima: “Será que eu escrevi certo?”. E ponto final.


Você pode gostar
Publicidade