Siga o Jornal de Brasília

Mandando a Letra

As piadas e a cultura

Publicado

em

Publicidade

Quando você conta uma piada está demonstrando inserção em alguma cultura. O fato é que lembrar de cultura, pra muita gente, significa relacionar a contextos de países. Entretanto, até em nações, há microculturas.

Inserção em contexto

Para entender uma piada, a pessoa precisa fazer parte de um contexto específico. Por isso, muitas vezes, a piada é o medidor para saber se alguém tem conhecimento relacionado a alguma língua. Então, diz-se que o aluno sabe bem inglês se ele entendeu a piada naquela língua, por exemplo.

Ocorre que ele não entendeu a piada porque ele sabe inglês. O fato de ele compreender aquela mensagem cômica se deve ao fato de ele ter alguma inserção suficiente naquele contexto para conseguir rir daquilo. Isso é mais uma prova de que a linguagem faz parte do contexto social. A piada é um gênero inserido nesse contexto.

Daí surgem os desdobramentos

Em vários sentidos do relacionamento humano, a piada também serve para demonstrar nossa crueldade com relação a segregação e estigma. Quantas vezes ouvimos dizer que alguém não entendeu uma piada porque é “burro”? É fato que para compreender a mensagem é necessário estar conectado com alguma realidade, com a atualidade e com o que ocorre ao seu redor.

Por outro lado, você pode fazer parte de um contexto, mas a piada girar em torno de algo que você não está sabendo totalmente. Nesse sentido, a piada é usada para, com a participação de outras pessoas conhecedoras do tema, demonstrar o alijamento de um membro do grupo. Mais uma vez, a necessidade de um elemento dá ou tira a graça da historieta.

Piada não se explica

Uma piada pode começar de uma maneira específica que você ainda não saiba que é um conto de humor. Mas em algum momento vai ter que dar esse clique. Ele acaba sendo ligado quando surgem oposições inesperadas, como algo não real, anormal, situações impossíveis ou algo parecido.

O contador da piada também precisa ter certeza de que o ouvinte tem conhecimento contextual para compreendê-la. Sem isso, ocorrerá no erro de ser sem graça, ou vai tachar o interlocutor de limitado ou desinformado. Essa é mais uma prova de que para um texto (mesmo sem ser piada) fazer sentido, é necessária uma base de coerência, e nela também se insere o conhecimento do tema: o contexto. Dentro disso, também vai o conhecimento geral, né?

Por fim, deixo o conto de um bar, quando entrou um cara forte e bravo. Disse que ia bater em todo mundo. O povo todo correu. No balcão, um anão permaneceu incólume. Ofendido, o fortão lhe perguntou por que não correra. O anão, sem falar nada, simplesmente desceu do seu banco, estralou os dedos e foi pra cima do fortão. Gente, nunca vi um anão apanhar tanto na vida!


Você pode gostar
Publicidade