Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Blogs e Colunas

Restaurant Week no Quadrado

Mea culpa, mea maxima culpa (leiam com a pronúncia em latim, hein?)

Por Lulu Peters 09/03/2022 7h04
Restaurant Week no Quadrado

É com esse espírito que começo minha primeiríssima coluna, para anunciar que foi lançada a 1ª. edição da Restaurant Week 2022! Sim, um festival que já está mais que conhecido do grande público e tem como tema “Sabores da Infância”.

Antes que algum leitor ou seguidor do meu blog diga qualquer coisa: sim, eu já critiquei, e muito, a RW. Em 2021, fui a um único restaurante para prestigiar, porque estava no auge do meu romance com ele, e cujo menu vegetariano eu a.do.rei. Mas é aqui que entra minha oportunidade de calçar as metafóricas sandálias da humildade.

Vejam bem, para alguém que, como eu e muitos de vocês, frequenta restaurantes desde sempre, que teve acesso a ingredientes raros e diferentes, teve a chance de elevar e expandir o próprio paladar, o nível de exigência está em um patamar diferente da maioria da população. Esperamos mais, queremos um menu que nos encante em comparação a outras experiências que já tivemos, até fora de Brasília ou do Brasil.

Mas para muita gente, muita mesmo, a RW é a oportunidade mais segura de acesso a restaurantes onde sequer cogitariam entrar em “condições normais de temperatura e pressão”. Não estou falando apenas de orçamento limitado, o que é mais que compreensível, ainda mais na nossa situação econômica atual. Estou falando de pessoas para quem a cerimônia de comer fora é algo muito sério e muito raro. Para quem enxerga no festival a chance de visitar restaurantes de renome, cuja fachada é, normalmente, admirada à distância.

Como eu sei disso? Da pior forma possível: depois comentar com certo desdém sobre “não ter certeza se o festival compensaria” e ver o olhar da pessoa para quem a Restaurant Week é aguardada a cada ano e se mostra como porta de entrada valiosa na sua jornada para comer fora e aprender mais sobre gastronomia.

Sim, do mesmo jeito que há vinhos ‘de entrada’ para quem está acostumando o paladar e o bolso, os pratos em estilo “entrada, principal e sobremesa”, por preços que vão de R$49,90 até R$109,90, podem ser verdadeiros treinamentos para muitos.

O preço fixo acompanhado do respectivo menu significa confiança de saber o que se vai comer, por quanto e onde. E, aliás, vamos combinar que os menus estão bem variados e há casas novas participando, então vale a pena entrar no site da RW e esmiuçar na hora de fazer sua própria curadoria. Opções não faltam nesta edição! Impossível não encontrar algo que vá ao encontro dos seus desejos!

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Jamie Oliver Kitchen, Manuelzinho, Xaman, Le Parisien Bistrot, Sagrado Mar, Pecorino, Villa Tevere, Wine Garden, Same Same e muitos outros estão na lista. Gente, é pegar o caderninho (virtual, né, acho que só eu amo papel até hoje) e fazer a sua listinha gastronômica! Escolha com carinho e parcimônia e mande ver!

Marie no Quadrado

Podem falar o que for. A culinária francesa é uma das primeiras paixões que temos ao começarmos a aprender mais sobre alta gastronomia. O padrão de requinte no mundo todo tem como origem, basicamente, a cozinha e a etiqueta francesas. Para alguns, é clichê. Para outros, é a segurança de comida boa a qualquer tempo.

Para “quebrar o gelo” da pomposa sofisticação francesa, um toque italiano familiar e aconchegante cai muito bem. Afinal, o Marie é a terceira casa do grupo Famiglia Papa, que conta com o Papa Cucina e o Babbo Osteria, comandados pelo empresário e restaurateur Carlos Rodrigues. Assim, a cozinha é assinada pelo chef Marcílio Araújo e sua experiência esculpida por anos no grupo Le Vin. A parte francesa é tocada no dia a dia por Manoel Mendonça, que já trabalhou com Eric Jacquin. E a parte italiana segue executada pelo chef Pety, e sua longa passagem pelo restaurante Gero Brasília.

Foi com essa colaboração que o Marie abriu suas portas, há pouquíssimo tempo, na CLS 103. Já conseguiu criar uma atmosfera deliciosa. Um “nadinha” de rococó, um pouco de brasserie, um quê de bistrô clássico, um toque contemporâneo e, voilá, um lugar charmoso que te transporta ao primeiro passo adentro.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Sem contar que os ambientes atendem diferentes necessidades, por exemplo, para quem quer curtir um jardim, uma varanda, uma mesa interna ou até um bar na entrada da casa. É como se cada canto atendesse um desejo diferente.
Talvez seja esse o maior mérito do Marie, já que o cardápio de refeições não é para muitos bolsos. Os pratos individuais vão, tranquilamente, de R$83,00 a R$159,00. Claro que incluem polvo, cordeiro, leitão, preparos clássicos, toques de inovação, mas, ainda assim, não são opções acessíveis para todos.

Porém, é possível pedir, por exemplo, a farta burrata da casa, empanada na massa fininha de sêmola e ao forno, com um molho napolitano de tomate que é algo de outro mundo (R$73,00), para acompanhar uma garrafa de vinho, na faixa de R$115,00 a R$150,00.

Dá para pedir uma Foccacia recheada de queijo brie, presunto Parma e mel trufado (R$59,00), enquanto toma um Negroni (R$38,00) ou um Cosmo (R$22,00) no bar, que é a coisa mais linda, virado para a calçada.

Também é possível pegar as economias e celebrar bodas de casamento, com um La Chapelle de la Mission Haut-Brion (R$2.840,00), acompanhando um Terrine de Foie Gras com chutney de figo e brioche (R$129,00) ou um Tartare de atum fresco com foie gras e salsa trufada (R$93,00). Para o principal, Coquille Saint-Jacques au champagne, que são as famosas vieiras canadenses ao molho de champagne, com aspargos e purê de maçã verde (R$159,00), ou Lombo vitelo recheado com terrine de campagne, ao molho mostarda ancienne e fregola de sarda (R$109,00) ou, ainda, Confit de pato moulart cozido na própria gordura acompanhado de gnocchi de baroa na manteiga e sálvia (R$149,00).
Para encerrar, não perca a Pavlova com creme de iogurte e frutas vermelhas da Chef Patissier Lili Araújo, que é absolutamente marcante.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Assim, o Marie é uma casa requintada e de preços mais altos, mas que ainda viabiliza uma visita ajustável à sua realidade. Pode ser um happy hour mais contido, pode ser uma celebração incrível de noivado, pode ser até uma tarde de folga com amigas e espumante (às sextas, a casa fica aberta sem intervalo entre o almoço e o jantar).

Cardápios estão disponíveis com preços no link https://linktr.ee/mariecuisine. 😉

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE







Você pode gostar