Siga o Jornal de Brasília

Inspiração

Exaustão, decepções, ansiedade, momentos difíceis na vida costumam alterar sua alimentação? Entenda o motivo e como agir!

Publicado

em

alimentação

Por Andressa Marchi

Sabe aquela vontade de nadar em uma piscina de porcarias durante aquele período da vida estressante/triste/cansativo/fora da zona de conforto? Calma, está tudo certo, o que você esta sentindo é normal, compreensível, mas não deixe te dominar!

Hoje a intenção não é falar muito a fundo da nutrição em si apenas, mas sim falar da forma como eu costumo programar o meu cérebro, os meus pensamentos, quando essa vontade de sair chutando o “balde da vida saudável” aparece.

Quando passamos por momentos complicados, seja ele qual for, o nosso corpo entende que precisamos de PRAZER para aliviar esse estresse, precisamos liberar SEROTONINA, DOPAMINA e ENDORFINA (hormônios relacionados ao prazer) e todos os alimentos palatáveis (com alta densidade energética – ricos em AÇÚCAR, GORDURAS e FARINHAS REFINADAS) costumam realizar muito bem esse papel. Os carboidratos refinados e chocolates, por exemplo, aumentam a taxa de triptofano que entra no cérebro, promovendo um aumento do nível de serotonina, ou seja, bem estar imediato.

Mas pelo fato de serem, normalmente, alimentos pobres nutricionalmente, eles são rapidamente metabolizados, ou seja, possuem ação rápida (tanto gástrica, quanto hormonal) e rapidamente o corpo pedirá por MAIS. Com isso, entra-se em um efeito dominó, literalmente em um efeito de compulsão, pois nunca será suficiente. Sabe aquele famoso pensamento de “ah, agora já comi mesmo, qual o problema comer mais”ou aquele outro após devorar uma barra de chocolate “poxa, antes estava me sentindo tão bem, agora estou me sentindo péssima, uma tristeza”… tudo isso é a combinação da dependência física e emocional que esses alimentos que são pobres nutricionalmente nos trazem.

Tá bom, então como resolver ou prevenir? Vou dizer como EU faço!

PRIMEIRO: ELIMINE da sua vida DIETAS RESTRITIVAS ou DIETAS DA MODA. Elas são péssimas e causam SIM o efeito rebote desesperador. Procure um profissional NUTRICIONISTA qualificado para lhe ajudar e que monte algo palpável e realizável de acordo com a SUA rotina de vida e suas necessidades.

SEGUNDO: ENTENDA que uma alimentação ruim vicia tanto quanto drogas, então você precisa DECIDIR o que deseja pra sua vida. Você não estar bem a seu ver esteticamente é uma coisa, da pra levar, mas e POR DENTRO, como você está? Como estão seus exames? Como está sua disposição ao dormir e ao acordar? Você quer uma vida longa e feliz? MUDE SUA ALIMENTAÇÃO!

Um estudo publicado na revista Nature Neuroscience, avaliou 2 grupos de ratos, sendo que um recebeu alimentos com alto teor de gordura e açúcar e o outro grupo recebeu cocaína ou heroína. Observou-se que houve a mesma ativação cerebral nos dois grupos. O primeiro grupo mostrou alterações comportamentais e fisiológicas, que são semelhantes às causadas ​​pelas drogas, promovidas pela mudança no sistema dopaminérgico através da hiperestimulação do sistema. Por isso, muitas pessoas perdem o controle sobre sua capacidade de regular o seu consumo de tais alimentos.

TERCEIRO: PRATIQUE exercício! No início é um saco? É! Mas aos poucos seu corpo vai entendendo, todos os hormônios citados acima vão sendo liberados ATRAVÉS DA ATIVIDADE FÍSICA e você deixará de depender das porcarias alimentares para se sentir bem! Diz aí, legal demais!!! E de quebra ainda vai mudando esteticamente!

QUARTO: COMPREENDA que você é um ser humano que pode falhar e se falhou hoje de acordo com o que planejou, ok! Amanhã é um novo dia e tudo pode ser feito ainda melhor! Só não se permita entrar na onda do “SÓ MAIS HOJE” pois tudo pode ir por água abaixo.

Então como é que eu, Andressa, decido que ESSA NÃO SERÁ A MINHA ESCOLHA? Entendendo e martelando na minha mente e no meu coração os quatro pontos acima e sabendo que eu sou completamente RESPONSÁVEL pela minha saúde! Eu quero ver meus netos crescerem… não me permito ir embora antes disso, sabendo que cooperei negativamente com a minha alimentação! 

Existem diversas formas de trabalhar, protocolos na nutrição, manipulações, suplementos, que podem auxiliar nesse processo. Procure um nutricionista!


Você pode gostar
Publicidade
Publicidade
Publicidade
  • CHARGE DO DIA

    Charge
Publicidade