Siga o Jornal de Brasília

Inspiração

Dieta cetogênica ou Keto diet, o que seria e como funciona?

Publicado

em

Dieta cetogênica ou Keto diet, o que seria e como funciona?

Por Andressa Marchi

O que seria uma DIETA CETOGÊNICA ou KETO DIET? 
Como ela funciona? Qual o seu efeito?

Ao longo desse texto procurarei responder essas perguntas e fazê-los criar uma opinião própria em relação ao assunto, afinal, na Nutrição não existe certo e errado, existe o que melhor se aplica ao perfil de cada um.

Dieta Cetogênica

Em decorrência da falta de carboidratos para o funcionamento do ciclo de Kreb nas mitocôndrias hepáticas, três compostos são produzidos – acetonas, Beta-hidroxibutirato (BHB) e acetoacetato – substituindo então a função e a necessidade do carboidrato para esse perfeito funcionamento.
Uma vez que a ingestão de carboidrato na dieta chega a 10% ou menos (isso seria abaixo de 20g, aproximadamente), as reservas de energia (glicogênio) do fígado e do músculo diminuem drasticamente, causando uma crise energética na produção de oxaloacetato (que é produzido a partir da glicose), forçando então uma formação de piruvato pela ação da enzima piruvato carboxilase.

Ou seja, na falta ou redução potencial de carboidrato na dieta, o nosso corpo, especificamente o nosso fígado, se vira para produzir energia de outra forma para suprir as necessidades físicas. E está tudo certo, essa energia é produzida e usada perfeitamente!

Como ela funciona?

A parte da adaptação é a mais complicada, pois a restrição de carboidrato acaba gerando queda nos níveis de atenção, redução da performance atlética e concentração, uma vez que o cérebro está aprendendo a “se alimentar” de outra fonte energética alternativa à glicose.

Pessoas em dieta cetogênica passam pelo processo chamado de “cetose fisiológica”, que é justamente o processo do cérebro aprender a utilizar corpos cetônicos ao invés de glicose como fonte de energia.

Ela tem como característica: de 100% da alimentação diária, 70% serão gorduras, 20% proteínas e 10% carboidratos.

Normalmente, dentro de duas semanas os sintomas iniciais diminuem, os corpos cetônicos passam a estar em maior concentração no sangue (cerca de 4mmol) e isso faz com que as adaptações fisiológicas fiquem mais neutras.

Qual o seu efeito?

Em pessoas com sobrepeso ou obesidade, o protocolo da dieta cetogênica é utilizado com a intenção de melhorar o metabolismo da glicose tecidual (açúcar nos tecidos), pois nesse caso esse processo fica completamente alterado – normalmente esses indivíduos apresentam resistência a insulina, pois o corpo ja produziu tanto que sinaliza que está chegando ao ponto de saturar, tendo forte tendência a evoluir para a diabetes. Então ensinar o metabolismo dessas pessoas a utilizar corpos cetônicos como forte de energia de forma alternativa à glicose é, além de provocar o emagrecimento, devolver saúde e eliminar a chance de maiores doenças.

Algo muito interessante a ser ressaltado, é que com a dieta cetogênica ocorre o estímulo do eixo de saciedade hipotalâmica que evita a fome, pois com o consumo predominante de gorduras e proteínas na dieta, ocorre o estímulo de GLP1, que por ser um peptídeo anorexígeno, tem ação nos neurônios da saciedade.

Os efeitos desse protocolo em atletas ainda é extremamente estudado e discutido. Eu, particularmente, ainda fico bastante receosa e não faria a recomendação para meus pacientes atletas. Acredito que a queda brusca do conteúdo de glicogênio hepático e muscular (energia presente no fígado e músculo) interfere diretamente e drasticamente na performance.

Foi possível então compreender que a Dieta Cetogênica não é para todos, ela é para quem realmente deseja e tem consciência do duro processo de adaptação inicial, porém os frutos a serem colhidos são excelentes e duradouros. Para pessoas sobrepesadas e obesas é uma excelente opção, pois além de gerar um efeito fisiológico rápido, também gera uma redução de peso extremamente significativa. Para pessoas com câncer também é um protocolo incrível, uma vez que toda célula cancerígena se alimenta de glicose.

Quais os alimentos que fazem parte e que não fazem?

PERMITIDOS

  • Carne, peixes, ovos, linguiça, bacon
  • Azeite, manteiga
  • Queijos, creme de leite fresco, iogurte natural
  • Amendoim, noz, avelã, castanhas
  • Frutas
  • Legumes e verduras
  • Sementes: linhaça, chia, girassol

NÃO PERMITIDOS

  • Arroz, macarrão, milho
  • Feijão, soja, ervilha, grão de bico
  • Farinha de trigo, aveia
  • Pães
  • Raízes: batatas, mandioca e etc
  • Bolos, doces, biscoitos, chocolates
  • Leite
  • Industrializados no geral


Você pode gostar
Publicidade
Publicidade
Publicidade
  • CHARGE DO DIA

    Charge
Publicidade