Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Blogs e Colunas

“Minions 2: A Origem de Gru”: sequência tem ótimas piadas, mas perde o foco em vários momentos

A animação estreia nesta quinta-feira (30), depois de muitos adiamentos devido à pandemia de covid-19

Foto|Divulgação|Universal Studios

Nos últimos anos, muitas animações visam mostrar uma história coesa, com uma narrativa que interessa tanto crianças quanto adultos. No caso de “Minions 2: A Origem de Gru” não é isso que acontece. A animação, que estreia depois de alguns atrasos por conta da pandemia, nada mais é que uma tentativa da Universal Pictures em parceria com a  Illumination de manter a chama da franquia “Meu Malvado Favorito” viva.

A história se passa anos antes de “Meu Malvado Favorito”, quando o personagem Gru (dublado por Leandro Hassum no Brasil) tinha apenas 11 anos de idade e um grande sonho: participar do grupo mais grandioso de vilões, o “Sexteto Sinistro”. Quando um dos membros é expulso, Gru vê a oportunidade de fazer uma entrevista para entrar no sexteto. Deixando para trás seus servos amarelos os “Minions”, ele precisará demonstrar que uma criança pode ser um grande vilão.

Roteiro 

Mais uma vez a linha de raciocínio aqui fica mais do mesmo, recontando em continuações da origem de personagens com em “Cruella” de 2021 ou “Malévola” de 2014. O que fica confuso em “Minions 2: A Origem de Gru” é que mesmo o título explicando que vamos ver como o Gru se tornou um vilão, a história em si deveria ter os Minions como protagonistas. Além disso, as cenas mudam de foco constantemente sem uma conexão uma com a outra. São muitos momentos de ação, uma tentativa de manter o público animado com as cores que são exploradas de forma lúdica. 

Foto: Divulgação/Universal Studios

Personagens

Quem já conhece as produções da Illumination, como “Pets – A Vida Secreta dos Bichos” ou “Sing – Quem Canta Seus Males Espanta”, já está acostumado com personagens sem história, que deixam mais dúvidas do que o contrário. No caso desta animação em particular, personagens que foram tão bem propostos do começo da franquia perdem totalmente o brilho, a ponto de nem precisarem estar presentes para finalizar algo no longa.

Lado que vale a pena

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Talvez uma das melhores coisas em “Minions 2: A Origem de Gru” seja as piadas, que realmente são engraçadas e conseguem arrancar momentos de risos do público. Também merece destaque a trilha sonora, com nomes como Phoebe Bridgers, H.E.R. e Diana Ross.

Finalmente

Apesar de o roteiro não ter tanto foco quanto deveria, “Minions 2: A Origem de Gru” é uma boa pedida para as férias do meio do ano. Quem assistir, no fim das contas, vai se divertir.

Confira o trailer:

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Ficha técnica:

Direção: Kyle Balda

Roteiro: Brian Lynch

Produção: Chris Meledandri, Janet Healy e Chris Renaud

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Elenco: Steve Carell, Pierre Coffin, Taraji P. Henson e Julie Andrews

Gênero: comédia e animação

Distribuição: Universal Studios

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Duração: 1h30

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Classificação indicativa: Livre

A colunista assistiu à pré-estreia a convite da Espaço/Z








Você pode gostar