Siga o Jornal de Brasília

Figuras de Brasília

Figuras de Brasília: Renato Rocha



Renato da Silva Rocha, o Negrete, nasceu no Rio de Janeiro no dia 27 de maio de 1961. Mudou-se para Brasília com a família aos 9 anos de idade, devido a uma transferência de seu pai, militar do Exército. Durante a adolescência, Renato sempre teve fama de brigão, chegando a integrar os Cabeças Raspadas, um grupo punk inspirado nos skinheads ingleses.

 

No fim dos anos 1970, Negrete conheceu os integrantes do Aborto Elétrico (Renato Russo, Fê Lemos e Andre Pretorius) e, assim como muitos outros jovens da cidade, formou sua própria banda, a Gestapo. Depois, ainda tocou em grupos como Smegma e Dents Kents.

 

 

Mas a Legião Urbana só entrou em sua vida em 1984. E de forma inesperada: na véspera da viagem da banda para gravar o primeiro disco no Rio de Janeiro, Renato Russo tentou o suicídio cortando os pulsos. Ele logo se recuperou do incidente, mas ficou impossibilidade de tocar baixo. Foi então que Russo convidou Rocha para integrar o grupo, a quatro dias do início das gravações do LP.

 

 

Negrete ficou com a Legião até 1989, quando foi expulso da banda por Renato Russo, devido ao seu envolvimento com drogas. O baixista tem co-autoria em várias composições do grupo, como Quase sem Querer e Daniel na Cova dos Leões.

 

Depois da Legião Urbana, Rocha ainda fez parte de outras bandas, mas nenhuma delas alcançou muito sucesso. O músico desapareceu da mídia até ser encontrado por um programa jornalístico em 2012, vivendo em situação de rua no Rio de Janeiro. O vício das drogas continuava.

 

 

Após esse reaparecimento, Negrete foi convidado para tocar, junto a outros músicos, no show Renato Russo Sinfônico, realizado no Estádio Mané Garrincha em 2013. No ano seguinte, também participou do projeto Urbana Legion, tocando sucessos de sua antiga banda.

 

Renato Rocha morreu no dia 22 de fevereiro de 2015, no Guarujá (SP), vítima de um ataque cardíaco. Ele continuava lutando contra as drogas.

 

Você pode gostar
Publicidade