Siga o Jornal de Brasília

Figuras de Brasília

Figuras de Brasília: Ozanan Coelho

Publicado

em

Francisco Ozanan Coelho nasceu no Ceará em 1943. Formou-se em Agronomia na Universidade Federal do Ceará em 1968 e, logo após a colação, teve a oportunidade de vir para a capital federal trabalhar no Departamento de Parques e Jardins da Novacap, onde se tornou chefe após alguns anos e permaneceu até a aposentadoria.

 

 

No início dos anos 1970, milhares de árvores morreram por todo o Distrito Federal, pois eram plantas de outros estados que foram trazidas às pressas para a inauguração da cidade e não resistiram ao solo do cerrado depois de alguns anos. Ozanan e sua equipe buscaram nas redondezas plantas que fossem fortes o suficiente para resistir à seca e ao sol do Planalto Central. E conseguiram. Foram mais de 3 mil árvores plantadas, inclusive muitos ipês, que encheram Brasília de cores e beleza.

 

Outro fato marcante na vida de Ozanan aconteceu em 1991, quando um homem atacou o buriti solitário que dá nome à Praça do Buriti, no Eixo Monumental. O indivíduo quase derrubou a árvore com um machado, mas foi preso pela polícia. Ozanan coordenou a operação de salvamento da árvore, que é tombada pelo Patrimônio Histórico. Ele colocou estacas de contenção, cobriu o buraco no tronco com uma resina grossa e botou uma proteção de ferro para deixá-la de pé. O buriti sobreviveu e continua no mesmo lugar até hoje.

 

 

Ozanan Coelho morreu em 2016, aos ­72 anos, vítima de um infarto fulminante.


Você pode gostar
Publicidade