Siga o Jornal de Brasília

Esplanada

Tão longe, tão perto

Publicado

em

Grãos-tucanos e parte da militância estão alarmados com o que consideram pressa – embora outros apontem desenvoltura política – do governador de São Paulo, João Dória Jr (foto), para ter vitrine nacional. Ao criar grupo de debate de governadores do Sul e Sudeste e se fazer porta-voz político da turma, Dória põe o nome, muito cedo, no imaginário popular e nas movimentações partidárias para disputar o Palácio do Planalto em 2022. Em almoço recente no Restaurante Piantella, em Brasília, deixou claro a interlocutores que seu projeto nacional não é segredo. Fato. Ele ficou menos de dois anos na prefeitura de São Paulo e saltou para a disputa ao Governo do Estado.

Retirada forçada

Os próximos passos do governador são enfraquecer a turma de Geraldo Alckmin dentro do PSDB e expulsar o deputado federal Aécio Neves, por causa das investigações.

Observatório
O tema é debatido entre portas. O Conselho Nacional do Ministério Público pode baixar resolução para que procuradores evitem contato em público com jornalistas.

Você já sabia
Não foi surpresa para o staff do presidente Bolsonaro a participação do deputado federal Eduardo Bolsonaro, em lugar do chanceler Ernesto Araújo, na reunião com o presidente americano Donald Trump na Casa Branca. Como a Coluna revelou, o deputado jantou com Trump no Clube Mar-a-Lago, em West Palm Beach, e ficou amigo do republicano. Trump fez questão da presença de Eduardo na reunião, como tradutor para o pai.

Olho neles
O PSL, em favor do senador Flávio Bolsonaro, representou na Corregedoria do Conselho Nacional do MP contra o procurador-geral do Rio, Eduardo Gussem. Dias antes de a TV Globo divulgar andamento do inquérito sobre o famoso Queiroz, ex-motorista enrolado do senador, o procurador foi flagrado, em foto, com um repórter da emissora num restaurante. O PSL quer saber se houve vazamento de inquérito.

BBB do BNDES 1
Autor do pedido de criação da CPI que vai apurar supostos “atos ilícitos e irregulares” praticados no BNDES, o deputado tucano Vanderlei Macris (SP) adianta que a comissão irá se debruçar sobre denúncias recentes, baseadas em delações da Operação Lava Jato, que ainda não foram investigadas.

BBB do BNDES 2

A CPI também tentará rastrear os bilhões pagos em propinas a agentes públicos em 12 países. “Devemos ter todos os nomes indicados, a eleição do presidente e relator e formalizaremos a solicitação de toda a documentação das comissões de inquérito anteriores para um pente-fino e chamar os depoentes”, posiciona.

Grita sindical
O presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), sinalizou a sindicalistas que não descarta a possibilidade de devolver ao Governo a MP 873, editada pelo presidente Jair Bolsonaro, que proíbe o desconto da contribuição sindical diretamente dos salários e determina que o pagamento seja feito apenas por boleto bancário.

Amarra$
O Governo tem informações de que, com o fim do desconto obrigatório do imposto sindical na folha salarial, ainda é forte dentro das empresas o movimento sindical que pressiona funcionários a aderirem “voluntariamente” ao desconto.

Ponto a ponto
Alcolumbre adiantou que tomará a decisão – de devolução ou não – após receber o parecer da comissão especial que analisa a medida. O último presidente do Senado que devolveu uma Medida Provisória ao Governo foi Renan Calheiros (MDB-AL), em 2015. A MP 669 tratava da desoneração da folha de pagamento das empresas.


Você pode gostar
Publicidade
Publicidade
Publicidade
  • CHARGE DO DIA

Publicidade