Siga o Jornal de Brasília

Esplanada

Desafio na fronteira

Diante da crise da imigração venezuelana para o Brasil, o Governo Federal alterou o decreto 4.801 de 2003, e deixou agora a seleta Câmara de Relações Exteriores e Defesa Nacional sob comando dos militares do Gabinete de Segurança Institucional. Antes, seguia sob o guarda-chuva da Secretaria de Articulação. Os militares estão agora com o comando absoluto da situação e têm a missão de fazer valer a resolução internacional de receber os imigrantes em segurança. O mais difícil.

Esqueceram de mim
Não está prevista a participação do ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann (foto), na Câmara de Relações Exteriores. A pasta tem papel fundamental no caso.

Entrada a pé
Os roraimenses reclamam da sujeira, de mendigos, da falta de segurança. E não há controle algum nas fronteiras terrestres além da barreira feita em Pacaraima.

Perfil
De um observador: Os venezuelanos milionários estão radicados em Miami. Os da classe B alugam ou compram residências em Manaus, São Paulo ou cidades do Sul.

Já os pobres…
… se enfileiram a pé na estrada e se concentram nos abrigos de Boa Vista. Belas mulheres se prostituem a R$ 80 o programa para terem o que comer ou dar a filhos.

Fiel aliado
Num dos trechos do livro de memórias, José Dirceu relata que estava tranquilo quanto à governabilidade do Governo Lula – em especial no Senado, com “maioria assegurada graças ao apoio de José Sarney, Siqueira Campos e, pasmem, Antônio Carlos Magalhães”. Sim, ACM foi aliado fiel e sigiloso de Dirceu. Não de Lula. Pesaram a favor, claro, programas federais turbinados para os estados dos caciques.

On the road
Depois da coletiva que concede amanhã em Brasília sobre seu livro de memórias, o ex-ministro condenado José Dirceu segue para tour de lançamento pelo País, de carro ou ônibus. Quer evitar conflitos com passageiros em voos.

Rota vermelha
O petista lança dia 4 no Circo Voador, no Rio, e depois segue pelo Nordeste e Norte de capital em capital até Belém. Turnê paga pela Geração Editorial. Depois desce para São Paulo e região Sul, e lança em Brasília após as eleições.

Cachê do chefe
O procurador chefe da Lava Jato, Deltan Dallagnol, tem cobrado até R$ 35 mil para uma palestra, dependendo do público. Sua assessoria não fala em valor, mas frisa que ele já deu “cerca de 40 palestras gratuitas do início do ano para cá”.

Mais uma
A próxima aparição do chefe da Lava Jato será no Rio de Janeiro dia 3, quando fala para empresários na tradicional Associação Comercial.

Derrapagem…
O Governo do Paraná editou portaria com processo de credenciamento de registradoras de financiamento de veículos. Mercado milionário. A primeira credenciada é a Infosolo, sediada em Brasília. Mas a outra ponta, as instituições financeiras, questiona pontos do edital como direcionamento técnico e preços abusivos indevidamente fixados pelo Estado.

…milionária
A taxa fixada pelo Governo ficou em mais de R$ 300. Estado com maior frota, São Paulo cobra R$ 87,00 pelo mesmo serviço. Procurada, a assessoria do Governo não respondeu até o fechamento.

Água pra vinho
O deputado federal e hoje candidato ao Senado Jarbas Vasconcelos (MDB) era do time que pregava a prisão de Lula da Silva até meses atrás. Converteu-se. Com a chapa MDB-PSB-PT em Pernambuco, defende a candidatura de Lula, e pede votos para o colega Humberto Costa (PT), que tenta a reeleição.

Você pode gostar
Publicidade