fbpx
Siga o Jornal de Brasília
Conca Cozinha Original Conca Cozinha Original

Eixe-se

Eixe-se com Conca Cozinha Original

A experiência, interação e a história do Conca Cozinha Original irá te surpreender e dar água na boca!

Eixe-se

Publicado

em

PUBLICIDADE

Se você, assim como nós, vê a comida como mais que um “saciador de fome”, e preza pela experiência e interação que aquele alimento pode te proporcionar, a história do Conca irá te surpreender e dar água na boca!

Igor Janiques, desde mais novo, quando morou no Rio de Janeiro, ajudava sua mãe a cozinhar para ele e suas irmãs, mas até então sem paixão alguma pelo mundo dos alimentos. Foi quando começou a trabalhar em bares de eventos, que iniciou seus interesses pelo mundo gastronômico e pelo trabalho com o público. Começou o curso de gastronomia na faculdade com a intenção de apreender a empreender para abrir seu próprio negócio, pensava em expandir o bar para que se tornasse também um bufê. Ainda sem ser movido pela paixão, ao se formar, já iniciou seus trabalhos na área gerencial.

Sempre muito comunicativo, o chef implementou na empresa uma excelência de serviço em que o garçom, não só servia a bebida para o cliente, mas também proporcionava uma experiência de conversa e tato, além da rapidez do atendimento, que era outro diferencial. Isso fez com que despertasse nele a paixão pelo empreendedorismo, e a vontade de abrir algo diferente do que o mercado estava oferecendo. Igor exemplifica a paixão pela cozinha como uma forma de se comunicar.

“A comida é o que agrega ao que você é, seria a desculpa para você poder estar em volta de uma mesa e poder congregar com os outros. Então a comida para mim é União.” – Igor Janiques

Em 2015, após morar na Nova Zelândia e gerenciar e prestar consultorias para alguns restaurantes em Brasília, foi convidado para trabalhar na “Kasa Chique”, estabelecimento que oferecia cursos de culinária. Foi nessa época que Igor começou a realmente estudar para montar os cursos e ter base para falar com seus alunos, começando a pegar o espírito da cozinha. Foi então onde conheceu Diego Badra, seu atual sócio.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Diego Badra, sempre muito apaixonado por entender como as formas de vida se encaminham no nosso mundo, tentou ser Biólogo, até que percebeu que a área não atenderia sua expectativa, entrando em uma encruzilhada. Desde pequeno teve o alimento como uma forma de o fazer sorrir, e na infância estava constantemente dentro da cozinha, acompanhando o que estava acontecendo e aguardando a comida ficar pronta. E foi quando começou a se interessar pelos processos, como o alimento se transformava. Sua memória de sabores trazia a vontade de cozinhar, porque queria comer novamente algo que havia experimentado antes e, com várias influências de cozinheiros dentro de casa, tentava fazer ele mesmo os pratos que tinha vontade de comer. Sua família sempre se envolveu muito com a cozinha, e viam nela um ambiente gostoso de ficar e interagir, até mais que a mesa de jantar em si.

Após desistir da Biologia, Diego começou a se questionar sobre o que o fazia feliz em termos de profissão, e foi quando viu que a comida sempre o fez muito feliz no âmbito pessoal. Pensou então que poderia ser uma carreira que o aproximaria da fórmula profissional + vida pessoal. Decidiu fazer gastronomia e descobriu que era realmente aquilo que queria fazer pelo resto de sua vida.

“Eu me apaixonei pelas técnicas, pelos docentes do curso que eu fiz, pela ideia da cozinha nas suas características profissionais e a partir dali, entrei numa zona de conforto sentimental, que era uma coisa que até então eu não tinha imaginado, e que de fato me fez muito feliz, me aproximar da comida como profissão.” – Diego Badra

Os chefs se conheceram dando aulas de culinária na Kasa Chique. Diego mais focado na parte interna da cozinha e Igor em fazer a cozinha funcionar como um negócio, viram que seus trabalhos se complementavam bastante, e enxergaram um no outro muita paixão pelo trabalho que faziam. Após esse período, os chefs tiveram a oportunidade de trabalhar juntos novamente no restaurante Oliver, e foi lá que utilizaram de escola e terreno de conhecimento para, posteriormente, abrirem seu próprio negócio.

“O Conca sempre foi um sonho meu e do Igor. E a ideia sempre foi poder cozinhar aquilo que a gente sempre esperou que Brasília merecesse.” – Diego Badra

E foi com a necessidade de fazer algo fora do comum e extraordinário, que surgiu o Conca, em Julho de 2019. Inicialmente a ideia era ter um restaurante itinerante, de menu degustação. Aos sábados, em locais diferentes, aconteciam os jantares bolados pelos chefs. E além de terem passado por vários locais, o menu também mudava toda semana. A ideia era que pudessem exercitar uma parte do conceito do Conca, que é a criação de um laboratório de desenvolvimento de receita e desenvolvimento técnico, com a utilização de ingredientes do cerrado, não comuns. E assim foi implementado esse modelo de menu degustação todos os sábados. Durante a semana, tinham a parte de laboratório e mais para o final da semana, a prática de pré preparo, etc. Aos sábados acontecia o serviço.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

No final do ano passado, Igor e Diego já pensavam em adquirir um espaço fíxo para o restaurante, pois a logística de trabalhar em diversos lugares diferentes os atrapalhou. No meio da procura por um ponto, se iniciou a pandemia, que foi um balde de água fria para eles, fazendo com que pensassem em dar uma pausa em todo o projeto. Até que o dono de um dos locais em que tinham visitado no último ano fez uma ligação para os meninos, abaixando muito o preço do aluguel. Nesse momento decidiram tentar se adaptar ao esquema de delivery.

No início, começaram com um movimento de menu executivo para o almoço, e já no primeiro mês implementaram o conceito que o Conca sempre teve, que é mais noturno, com experiências e compartilhamentos. Suas porções são pratos menores, pois a ideia é que um casa, por exemplo, possa transitar no menu, e experimentar o restaurante por completo. E foi pensando nisso, que eles implementaram um delivery noturno com um menu de oito etapas, em que o casal (duas pessoas) pode escolher quatro etapas para conhecer mais o trabalho do Conca. O menu continua sendo transitório, respeitando o conceito original do restaurante.

Em um modelo de delivery, para que se possa manter a qualidade e estética, no menu degustação, o cliente recebe em casa os produtos todos desmontados em uma caixinha, para que ele mesmo possa finalizar seu prato. A ideia é proporcionar, em casa, a experiência que era fornecida presencialmente, da montagem e elaboração dos pratos, de uma forma divertida. No instagram do restaurante (@concacozinhaoriginal), os chefs também produzem vídeos de como finalizar e montar seus pratos em casa.

“Está sendo um desafio obviamente, trabalhar em delivery, mas está sendo também uma experiência bem legal, tanto para a gente quanto para o cliente. Tem muito cliente nosso que já falou para a gente que está se sentindo cozinheiro, chefe de cozinha, recebendo o nosso produto. Isso para a gente está sendo super bacana.” – Igor Janiques e Diego Badra

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE



Leia também


Publicidade
Publicidade
Publicidade