fbpx
Siga o Jornal de Brasília

Do Alto da Torre

Codhab estuda criação de políticas públicas

Para as mulheres violentadas e agredidas, a ideia da companhia será dar “independência” para que possam deixar a própria casa, junto com os filhos

Lucas Valença

Publicado

em

PUBLICIDADE

A Codhab tem estudado a criação de duas políticas públicas de concessão de moradia a idosos e mulheres vítimas de agressões. Os modelos ainda estão sendo estudados e a impantação de PPPs não foi descartada, mas a possível rentabilidade ainda está sendo estudada, já que se trata de políticas a brasilienses de baixa renda. A informação foi publicada anteriormente na versão on-line.

Velhice mais tranquila

Para os idosos, a companhia pretende conceder moradia, mas de forma provisória. Assim, após a morte do inquilino, a casa volta para as mãos da Codhab. Diretores da empresa entendem que esta é uma forma da companhia garantir a sequência da política ao longo do tempo. Alguns modelo de condomínios, no entanto, já estão prontos.

Evitando o pior

Para as mulheres violentadas e agredidas, a ideia será dar “independência” para que possam deixar a própria casa, junto com os filhos, enquanto todas as medidas cabíveis não sejam tomadas contra o agressor. A proposta também pode, acredita o diretor da Codhab, Wellington Luiz, acabar motivando novas denúncias.

Livre e solto

Mesmo com o marido, Felipe Belmonte, na luta para criar o novo partido do presidente Jair Bolsonaro, Aliança pelo Brasil, a deputada federal Paula Belmonte nao pretende deixar o Cidadania. A decisão é estratégica, já que a atual legenda possui um leque de opiniões diferentes, o que faz com que a congressista possa votar de acordo com suas concepções. No Aliança, no entanto, a liberdade seria contida.

Melhorando o acesso

Com a contratação da Fábrica de Software, divulgada ontem por esta coluna, a Câmara Legislativa pretende desenvolver dois aplicativos móveis ainda este ano. Uma das ferramentas ajudará no acompanhamento das votações de plenário e atividades legislativas. A outra, deve facilitar o acesso às informações de plenário aos parlamentares, técnicos e assessores que atuam na Casa.

Ganho de transparência

Caso realmente implantadas, as novas ferramentas devem trazer um pouco mais de transparência à Casa legislativa, além de ser uma forma proativa de aproximar o cidadão. No plenário, a ferramenta deve agilizar o entendimento de votações, já que emendas e proposições apresentadas em cima da hora terão um acesso mais facilitado.

Facilitando o pagamento

Para facilitar o pagamento de alvarás para os advogados, a OAB local negociou com o BRB a instalação de uma agência na própria sede do órgão, que foi inaugurada ontem. Com a medida, o recebimento de recursos financeiros de causas judiciais ficará mais perto.

Seleção

Na toada da chamada “nova política”, a distrital Júlia Lucy (Novo) abiu um processo seletivo para a contratação de um “analista de comunicação” e um “assessor de orçamento”. O processo segue a linha da parlamentar, que preencheu a maior parte do gabinete com aprovados em processos de seleção. A próxima vaga será para a contratação de um advogado.

Pausa da coluna

Com as festividades do carnaval, a coluna fará uma pequena pausa, mas retoma a cobertura dos bastidores da política na próxima quinta (27). Aos leitores que optarem pelo recluso, um bom descanso. Aos que pretendem sair às ruas, um bom frevo.


Leia também
Publicidade