Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Blogs e Colunas

Dicas de como escolher, usar e decorar mesas de apoio

Uma linda coleção do arquiteto Jeferson Branco para te inspirar

Dicas de como escolher, usar e decorar mesas de apoio Peças da coleção Pangëa, do arquiteto Jeferson Branco. Foto: Vanessa Alves

Hoje quero passar dicas para vocês de como usar e decorar mesas de apoio. Elas são muito úteis podendo ter diversas funções e podem ser usadas em diferentes ambientes da sua casa. Além de terem um efeito decorativo muito importante.

A escolha delas deve ser feita de acordo com o estilo da sua casa, bem como a função que ela terá. Você pode usar como mesa lateral na sala, como mesa de centro, como mesa de cabeceira no quarto, até mesmo como uma mesinha de apoio ao lado da banheira para apoiar sais de banho e velas, por exemplo.

Elas podem servir para apoiar objetos de decoração, porta-retratos, vasos com flores, copos, computador, iluminação e por aí vai.

Além da harmonia com o estilo do ambiente, existem outras regras que devem ser observadas, como o tamanho e circulação.

O tamanho é muito importante para que ela fique proporcional com todos os outros componentes do espaço e atenda bem a finalidade que você pretende dar a ela. Ela não pode ficar pequena em relação aos objetos que serão usados nela.

A circulação também é uma regra fundamental para evitar tropeços no dia a dia. Então posicione de forma correta para não ficar na passagem.

A mesa lateral usada na sala fica ao lado do sofá. É interessante que tenha a altura aproximada do braço do sofá para ficar confortável na hora de apoiar uma xícara, os óculos.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Lembre-se de decora-la sem perder espaço para o apoio dos objetos. Tanto para sala quanto para quarto, fica ótimo apoiar abajur, porta-retratos, relógio, plantas.

As mesas laterais, acabam tendo um papel fundamental quando não há espaço para ter uma mesa de centro ou quando a sala e o sofá são muito grandes.

Já a mesa de centro pode seguir a altura do acento do sofá ou até mesmo um pouco mais baixa. Ela deve ter uma largura aproximadamente de 1/3 a 2/3 do tamanho do sofá. Muita atenção também a distância dela do seu sofá.

Deverá ser uma distância boa tanto para circular como para você conseguir apoiar um copo ou se servir de um petisco sem ter que se levantar.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Fica muito bom enfeitar com livros, bandejas, velas, flores ou pequenas esculturas.

Só tome cuidado com os adornos da mesa para não ficarem muito altos. Arranjos florais muito grandes, por exemplo, podem atrapalhar a visão da outra pessoa ou até mesmo da televisão, dependendo do caso.

Dependendo do tamanho da sua sala ou o tipo de sofá, o ideal é você investir apenas nas mesas laterais ou nas mesinhas de apoio. Essas últimas podem ficar em um cantinho, ao lado de uma poltrona, cadeira, ou até mesmo compondo com a mesa lateral. Elas são ótimas para serem arrastadas e terem diversas funções.

Fique atento para o uso que sua mesa terá para não errar na hora de escolher o material dela. Se sua intenção é apoiar plantas, copos, invista em materiais resistentes a água como o vidro, metal, pedra.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Veja algumas ideias para te inspirar

Agora que já dei várias dicas de como escolher, usar e decorar quero mostrar para vocês esse lindo projeto do Arquiteto Jeferson Branco que acabou de lançar a coleção Pangëa com peças exclusivas tendo como matéria prima pedras brasileiras para vocês se inspirarem.

O Arquiteto defende a causa contra a extração e exportação de recursos naturais brasileiros e quer que as belezas do nosso solo se mantenham ao alcance de projetos dos designers brasileiros.

Sobre a sua coleção Jeferson diz: “Um Thorwback há 335 milhões de anos inspira a coleção Pangëa. O movimento divergente começa a acontecer no período que dá nome à coleção fazendo com que as placas tectônicas se afastem umas das outras, formando fendas e rachaduras na crosta terrestre.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

As mesas da coleção Pangëa são geometricamente pensadas como resultado desse fenômeno. Únicas, contemporâneas e exclusivamente em rochas brasileiras”.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Jeferson Branco acrescenta ainda sobre o seu método de criação dos tampos das mesas: “Cada cliente poderá escolher sua pedra preferida entre a mineira Red Fire ou a baiana Cocadablú, e então desenho a peça com exclusividade contando com as peculiaridades do desenho único de cada fragmento da rocha”.

Até a próxima semana com mais dicas!!

Serviço:
Informações e vendas em @jefersonbranco








Você pode gostar