Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Blogs e Colunas

Uberlândia é a 2ª cidade de Minas Gerais e 22º do Brasil com maior potencial de consumo

Os dados foram divulgados pelo Índice de Potencial de Consumo dos municípios brasileiros (IPC Maps)

Por Analice Nicolau 24/05/2022 3h00
Os dados foram divulgados pelo Índice de Potencial de Consumo dos municípios brasileiros (IPC Maps)

A maior cidade do interior de Minas Gerais está ganhando cada vez mais destaque nacional. Na edição de 2022 do IPC Maps, Uberlândia saiu da posição 23º para a 22º no ranking de municípios brasileiros com maior potencial de consumo. Entre os municípios de Minas Gerais, a cidade fica em 2º lugar.

Em comparação com os R$22,296 bilhões apurados em 2021, o potencial de consumo local cresceu 18,77%


A nova edição do Índice de Potencial de Consumo dos municípios brasileiros foi divulgada nesta terça-feira, 24, pela IPC Marketing Editora. A cidade do Triângulo Mineiro ficou à frente de 13 capitais. De acordo com o estudo, a projeção para Uberlândia na aquisição de produtos e serviços é de R$26,481 bilhões. Em comparação com 2021, o potencial de consumo local cresceu 18,77%.

“Especialmente após dois anos de pandemia, é dessa solidez que precisamos para apoiar e incentivar o empreendedorismo e a atração de novos negócios”, disse o prefeito Odelmo Leão


“Esse resultado do IPC Maps é mais um indicativo da força econômica de Uberlândia. E mostra que não podemos deixar de lado o trabalho que temos conduzido, frente à Prefeitura, para que a cidade siga se desenvolvendo. Portanto, especialmente após dois anos de pandemia e em meio a um cenário econômico nacional e internacional crítico, é dessa solidez que precisamos para apoiar e incentivar o empreendedorismo e a atração de novos negócios”, destacou o prefeito Odelmo Leão.

Em Uberlândia, o setor de habitação lidera a lista dos 5 principais produtos de consumo, com investimentos na ordem de R$5,8 bilhões por parte da população. Na sequência, estão: veículo próprio (R$3,1 bilhões), alimentação a domicílio (R$2,2 bilhões) e alimentação fora do domicílio (R$1,5 bilhão)


A pesquisa apontou que, em Uberlândia, o setor de habitação lidera a lista dos cinco principais produtos de consumo e 60,5% das empresas atuantes no município atuam no setor de serviços, com destaque para os segmentos de transporte, alimentação e saúde. Para chegar ao resultado em questão, o IPC Maps analisa os 5570 municípios do país e utiliza dados oficiais para chegar até a expectativa de desempenho dos consumidores frente à 22 categorias de produtos.








Você pode gostar