Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Blogs e Colunas

Prótese marcada ou implantes naturais? Especialista informa os fatores que influenciam os resultados

Cirurgiã plástica, Ana Roxo, também comenta sobre técnicas que podem ajudar no objetivo desejado

Por Analice Nicolau 29/06/2022 8h13
Cirurgiã plástica, Ana Roxo, também comenta sobre técnicas que podem ajudar no objetivo desejado

O implante de silicone nas mamas é uma das cirurgias plásticas mais realizadas no Brasil e no mundo, contudo, apesar da grande procura, o procedimento ainda gera inúmeras dúvidas sobre os métodos que podem ser utilizados e o que pode interferir no objetivo estético desejável de cada paciente.

Por ser um sonho frequente de diversas mulheres no país, convidamos a PhD em cirurgia plástica, Ana Roxo, para sanar algumas dúvidas a respeito do procedimento e explicar melhor as particularidades que podem influenciar no resultado do procedimento.

Em geral, as pessoas procuram as cirurgias plásticas para se transformarem na sua melhor versão. No caso da prótese de silicone, não é diferente. As pacientes buscam melhorias em prol de um resgate da autoestima, a fim de proporcionar uma melhor qualidade de vida, porém, o desfecho final do procedimento pode variar de acordo com a anatomia e espessura do tecido mamário de cada mulher.

“O resultado sempre depende da anatomia da paciente e do que a paciente deseja. É possível customizar o tipo de implante, o plano onde será colocado esse implante para que ele fique mais ou menos marcado, mais ou menos volumoso” explica Cirurgiã.

Além da questão anatômica, o tamanho dos implantes solicitados também pode interferir diretamente no resultado final: “Os implantes maiores tendem a ficar mais marcados e mais visíveis. Já os implantes menores têm uma tendência a ficarem mais naturais. Mas como citei, tudo depende da anatomia da paciente. Por isso, é de extrema importância que a paciente alinhe esses detalhes com quem fará a sua cirurgia”, comenta Dra. Ana.

Uma alternativa para quem deseja implantes maiores e não tão marcados, pode ser a lipoenxertia, técnica em que a gordura aspirada é injetada no paciente com finalidade de aumentar volume e melhorar a qualidade do tecido : “A lipoenxertia é uma ótima associação aos implantes para “disfarçar” suas bordas em pacientes muito magras e para complementar o volume” relata, Roxo.

Outro fator que pode influenciar no resultado, diz respeito ao plano onde será colocado esse implante. A técnica submuscular parcial, denominada dual plane, possibilita recobrir parcialmente a prótese mamária: “Temos os planos subglandular, submuscular e dual plane. Atualmente o dual plane tem sido mais usado por ter uma resultado mais estável e mais natural sim. Diante dessas possibilidades citadas, reforço a importância do diálogo entre médico e paciente, para buscar a satisfação mútua no processo, e consequentemente, a realização de um sonho” finaliza a cirurgiã.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE








Você pode gostar