Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Blogs e Colunas

Médica lança “Do Amor e do Amar”, livro que reúne relatos vivenciados por 70 mulheres

Obra da cardiologista Ana Marice Ladeira costura depoimentos femininos reais, sem juízo de valor, com o imaginário da literatura poética, em doze contos

Por Analice Nicolau 28/06/2022 11h06
Obra da cardiologista Ana Marice Ladeira costura depoimentos femininos reais, sem juízo de valor, com o imaginário da literatura poética, em doze contos

Na atividade médica, o paciente é quem menos fala. Ao buscar orientação, responde a perguntas objetivas, em um formato técnico e sistemático conduzido pelo profissional de saúde. A médica cardiologista baiana Ana Marice Ladeia inverteu essa lógica em “Do Amor e do Amar – histórias de mulheres reais como você”. Na estreia literária, a autora apresenta o resultado de um profundo exercício de escuta e percepção.

A obra reúne uma dúzia de contos escritos a partir de depoimentos reais de mulheres ou de descendentes, como filhos e netos. “Não há juízo de valor sobre cada história, há uma escuta cúmplice que fala com leveza, mas dentro de um contexto real, de um relacionamento vivido pelas mulheres que são as protagonistas das suas histórias e das suas próprias vidas”, comenta a autora.

Com a devida licença poética, premissa da escrita, criou personagens que emocionam e geram fácil identificação com o leitor – mulher ou homem – ao abordar temas atuais e ao mesmo tempo antigos, como “o amor e o amar”. “Nome de rainha, força de furacão”; “Rasgando o véu”; “Ela é carioca e não teme os búzios” intitulam histórias representativas da força e singularidade femininas, sem pretender um gesto panfletário.

“Helena nunca gostou dos diminutivos. Lena ou Leninha pareciam nomes pouco eficientes para seu propósito: queria ser engenheira civil e, na onda da Jovem Guarda, mandava a todos e a “tudo mais para o inferno” se quisessem desestimulá-la. Tomou coragem, foi morar em Salvador, na casa da madrinha. Como era habitual, moça direita na capital mora com pessoas de responsabilidade. Virgindade era um bem precioso” (Techo de “Do Amor e do Amar”, página 28).

Por meio de uma escrita delicada e cativante, Ana Marice incorporou quatro poemas: três de própria autoria e um da também cardiologista e poeta, Maria da Conceição Andrade. Ela é uma das 70 mulheres reais, de diferentes idades, profissões e etnias, que emprestaram verdades e belezas únicas para ilustrar a capa do livro e representar este “lugar” onde a imaginação e a realidade se encontram.

“Do Amor e do Amar” é o primeiro livro da professora titular da Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública fora do campo da medicina, em que contabiliza um sem-número de artigos científicos, dissertações de mestrado, teses de doutorado e trabalhos de iniciação científica. Ela precisava falar do coração, mas não como órgão. Queria, no seu sexagenário, presentear a escritora que sempre esteve ali, mas que precisava de espaço e tempo para aparecer.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE








Você pode gostar