Menu
Analice Nicolau
Analice Nicolau

Jaqueline Santos: a humorista que conquistou espaço no universo masculino do humor

No mês da mulher, a artista celebra sua trajetória para alcançar o lugar mais alto de sua carreira. Foram 10 anos lutando para conseguir um espaço da televisão, e dois anos para se tornar uma estrela na internet

Analice Nicolau

14/03/2024 18h00

No competitivo mundo do entretenimento, poucos conseguem romper barreiras e conquistar o coração do público. Jaqueline Santos, uma atriz que se destacou no cenário humorístico, é um exemplo dessa façanha. Com um carisma enorme e uma determinação inabalável, ela conquistou seu espaço no humor e desafiou estereótipos e preconceitos.

Desde jovem, Jaqueline tinha uma paixão pelo humor, embora inicialmente não quisesse uma carreira como comediante. Seus talentos foram reconhecidos desde cedo, destacando-se nas aulas de Palhaçaria na escola Nu Espaço, no Rio de Janeiro. Com uma habilidade natural para arrancar risadas, logo se tornou a aluna exemplar, superando até mesmo seus colegas mais experientes.

Foi aos 23 anos que Jaqueline começou a se destacar, mesmo enfrentando o desafio de desempenhar muitas vezes o papel de “escada” em seu relacionamento com outro humorista. Contudo, o reconhecimento do público veio quando as críticas apontaram que ela possuía um talento superior ao de seu parceiro. Esse momento foi um ponto de virada em sua carreira, impulsionando-a a explorar seu potencial no mundo do humor.

A pandemia trouxe uma oportunidade inesperada para Jaqueline, que começou a compartilhar vídeos engraçados no TikTok, inicialmente de forma relutante. No entanto, a resposta do público e o rápido crescimento de sua base de seguidores a convenceram a investir ainda mais nessa empreitada. Sua participação no reality “Mansão Hype” solidificou sua posição como uma das principais figuras do humor digital, garantindo uma legião de fãs e reconhecimento em todo o país.

Jaqueline sempre foi empreendedora e não se contentou em seguir a maioria. Com um insight brilhante, ela decidiu inverter o jogo, satirizando as típicas cantadas masculinas e deixando os homens desconcertados. Essa sacada inovadora rapidamente capturou a atenção do público, embora tenha enfrentado inicialmente um certo preconceito por parte das mulheres. No entanto, com o tempo, sua autenticidade e talento conquistaram até mesmo as mulheres mais críticas.

Apesar dos desafios, Jaqueline nunca desistiu de seu sonho, enfrentando a depressão e a ansiedade causadas pelo julgamento dos outros. Com uma determinação cada vez maior, ela se recusou a ceder às pressões externas, optando por focar em seus objetivos e no apoio de seus verdadeiros fãs e nos resultados que a internet apresentava.

Atualmente, Jaqueline é uma figura influente no mundo do humor, uma defensora da autenticidade e da perseverança. Seu sucesso na internet a levou a números extraordinários nas redes sociais e garantiu um papel no maior humorístico da televisão brasileira: “A Praça É Nossa”. A atriz continua a inspirar outros a seguirem seus sonhos, independentemente dos obstáculos que possam enfrentar.

Jaqueline continua a almejar novos desafios, como protagonizar uma novela na TV Globo, porém, permanece fiel a si mesma, resistindo aos assédios e pressões externas e mantendo-se autêntica em um mundo muitas vezes superficial. Solitária, a artista revela que seu personagem afasta um pouco os homens que misturam a artista da personagem. “A personagem me salvou da depressão, das crises de ansiedade, me deu fama, dinheiro e autoridade para que hoje, os homens não fizessem comigo o que já fizeram. Estou solteira, carente, mas continuo magnífica e f*”, revela.

Sobre um relacionamento ela diz que gostaria de conhecer um homem que tivesse algumas características como as dela: que fosse empreendedor, empresário de si mesmo e que se destacasse em sua área de atuação. “Prefiro homens um pouco mais velhos que eu, na faixa dos 35 anos até uns 45. Faço questão que seja fiel, cuide dos dentes e use lente de porcelana. Não acho que beleza seja fundamental, mas é importante que tenha senso de humor”, explica.

A artista incentiva outras mulheres a seguirem firmes nos seus objetivos, independentemente de quais sejam. “A mulher pode ser o que ela quiser, porque há poder na feminilidade. Não devemos deixar os homens apagarem nosso brilho. Nós nascemos para vencer, ninguém pode mudar isso”, conclui.

    Você também pode gostar

    Assine nossa newsletter e
    mantenha-se bem informado