Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Blogs e Colunas

Hematologista explica sobre os tipos de anemia, prevenção e tratamento

Especialista do Hospital HSANP alerta que complicação não é provocada somente por carência de ferro e que tratamento pode incluir até transplante de medula

Por Analice Nicolau 29/06/2022 12h00
Especialista do Hospital HSANP alerta que complicação não é provocada somente por carência de ferro e que tratamento pode incluir até transplante de medula

Definida pela baixa quantidade de hemoglobina no sangue, a anemia pode ser provocada por razões hereditárias, doenças autoimunes e, na maioria dos casos, por uma alimentação desbalanceada e carente. Em todos eles, porém, os sintomas são semelhantes: dor de cabeça, cansaço e palidez.

“A anemia não é exatamente uma doença, mas uma complicação normalmente acompanhada por uma ou mais doenças. Por isso, costumamos chamá-la de síndrome anêmica, e o diagnóstico certo é fundamental para definir o tratamento, inclusive o preventivo”, explica Ronald Sergio, médico hematologista do Hospital HSANP, instituição referência na Zona Norte da Grande São Paulo, que tem como missão ser assertiva com práticas humanizadas.

O especialista pontua que a identificação da anemia ocorre principalmente pelo histórico do paciente ou por meio de um simples hemograma, o popular exame de sangue.

“Dependendo de sua causa, o tratamento pode ir da reposição de vitaminas até o transplante de medula óssea. Os tipos provocados por razões autoimunes ou hereditárias não são preveníveis, porém os ocorridos por deficiência nutricional, os mais comuns, podem ser evitados ou combatidos com a dieta correta”, acrescenta o médico.

Segundo dados da Organização Mundial de Saúde (OMS), cerca de 90% das anemias são causadas pela falta de ferro no organismo. “É extremamente importante uma alimentação rica em ferro, vitaminas B12 e ácido fólico. Esses nutrientes podem ser encontrados em frutas, verduras, cereais, ovos e legumes. Também vale ressaltar que existem fases da vida em que necessitamos de suplementos, sempre sob recomendação médica”, pontua Sergio.

O especialista do Hospital HSANP alerta que crianças, gestantes, lactantes, adolescentes e mulheres adultas em fase de reprodução são os grupos mais afetados pela anemia. Contudo, os homens, especialmente os idosos, também podem apresentar quadros de baixa hemoglobina .

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

São cinco tipos de anemia existentes, dentre eles o mais comum é a Anemia ferropriva, provocada pela carência de ferro no sangue. Já a Anemia megaloblástica é causada pela deficiência de vitamina B12 e ácido fólico. Em alguns casos, o paciente possui alguma doença autoimune, o que impede o organismo de absorver esses nutrientes.

A Anemia aplástica é autoimune, causada pela redução na produção de diferentes constituintes do sangue e pode ser hereditária. Outro tipo que pode ser considerado autoimune é a Anemia hemolítica, pois as células são destruídas pelos próprios anticorpos do corpo, seja em decorrência de uma doença ou pela ação de medicamentos e reações à transfusão de sangue.

Por último, existe também a Anemia falciforme, geralmente hereditária, que ocorre porque a hemoglobina dos pacientes tem um formato diferente, que acaba se destruindo com mais facilidade, fazendo com que eles sintam dor no corpo e corram maiores riscos de infecções.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE








Você pode gostar