Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Blogs e Colunas

“Eu assisti Fátima Bernardes na casa do traficante”, revela Evandro Santo

O humorista confessou que já gravou vários programas enquanto estava drogado

Por Analice Nicolau 26/01/2022 12h00
O humorista confessou que já gravou vários programas enquanto estava drogado

Quem assistia e dava gargalhadas com o humor de Christian Pior no Pânico na TV há alguns anos atrás, nem imaginava que o humorista por trás do personagem estava se afundando nas drogas. Hoje, Evandro Santo está limpo, morando e trabalho em uma clínica de saúde mental. Em entrevista, ele abriu o coração sobre a fase mais difícil da vida dele,

Em bate-papo com Rafinha Bastos no podcast ‘Mais que 8 Minutos’, Evandro revelou que não usava nenhum tipo de droga e nem consumida bebida alcoólica na adolescência. Ele começou a fazer uso de entorpecentes de forma recreativa aos 29 anos. No início, o humorista ainda se achava superior porque usava apenas êxtase e quetamina. Na época, o crack e outros entorpecentes estavam distantes da realidade dele, mas com o passar do tempo ele foi se permitindo conhecer e enfrentou sérios problemas por conta do vício.

O humorista ficava vulnerável quando usava as drogas e acabou sofrendo algumas violências. Evandro chegava a pensar que o traficante que estava vendendo drogas para ele era melhor amigo dele. “A gente pensava que ele era bonzinho porque eu ia na casa dele, ele me oferecia coca-cola e macarrão. Daqui a pouco você faz um pix que você não lembra, some seu cartão que você usou para droga, de repente você acorda com um desconhecido na sua casa ou percebe que algo sumiu da sua casa”, disse.

Evandro confessou que não sentia que os traficantes eram bandidos porque ele acabava se aproximando, sem perceber as más influências que estavam ao redor dele. Ele chegava a assistir Fátima Bernardes na casa de traficantes e demorou para cair a ficha de que aquelas pessoas não estavam realmente do lado dele. Com muita dificuldade e vários altos e baixos, o humorista venceu a luta contra as drogas após se internar na clínica, onde hoje ele trabalha e continua morando.








Você pode gostar