Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Blogs e Colunas

“Cores e objetos são a chave para agitar os ânimos”, explica arquiteto sobre decoração do BBB22

Leandro afirma que os cenários do reality são criados com o objetivo de não proporcionar conforto e paz aos participantes

Por Analice Nicolau 18/01/2022 1h00
Leandro afirma que os cenários do reality são criados com o objetivo de não proporcionar conforto e paz aos participantes

Todos os olhos estão voltados para o Big Brother Brasil, pois na tarde desta segunda-feira, 17, o programa finalmente deu início a edição 22. O que já chamou atenção do público é o cenário bem colorido, chamativo e cheio de objetos. Convidamos o arquiteto Leandro Rhiaff, especializado em mansões de luxo, para analisar a decoração da casa mais vigiada do Brasil.

Engana-se quem pensa que a decoração dos realitys são pensados apenas para criar um ambiente bonito visualmente para o público. Leandro explica que tudo é pensado para afetar o psicológico dos participantes dentro do programa, desde as cores vibrantes, até os acessórios e objetos da casa.

“O projeto arquitetônico de um cenário para um reality show não seria bem planejado se só proporcionasse conforto e paz.  Há símbolos, aromas e formas que nos remetem a lembranças, estimulam sensações e até emoções específicas. Dificilmente teremos algum dia uma edição com em tons pastéis ou monocromáticos”, afirma.

Nessa edição, o BBB tema a vibe bem anos 70, 80 e 90, com tons neon que prometem deixar os ânimos à flor da pele. Os quartos também são bem diferentes, o arquiteto diz que a ideia é, além de trazer identidade para casa, dividir os grupos de participantes. Por exemplo, no BBB 20 as mulheres, que se autodeclaravam “fadas sensatas”, ficaram no Quarto Céu, enquanto os homens ficaram no Quarto Vila.

“As emoções à flor da pele e os estímulos precisam existir para que o dia a dia dos participantes seja agitado e cheio de acontecimentos. O uso das cores e objetos diferentes desempenha essa função. Preto, vermelho, amarelo, laranja, marrom e alguns tons de verde mais amarelados são a chave para agitar os ânimos”, explica Leandro, que é formado em análise de perfil comportamental.

Quem gosta do visual da casa mais vigiada do Brasil e quer levar um pouco dela para própria decoração, Leandro dá a dica: “O uso de cores extravagantes está em alta. Opte por estampas proporcional à área em que será aplicado o papel. Padrões de estampa muito grandes em áreas muito pequenas ou pequenos padrões em áreas muito grandes geram desconforto visual”.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE








Você pode gostar